redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, segunda-feira, 26 de outubro de 2020.

Hortas Urbanas

Vereador Ademir Santana (PSDB) festeja aprovação do projeto pela Câmara que por certo, acabará com locais dos “lixões” na Capital

Por Gilson Giordano em 16/10/2020 às 15:20

Vereador Ademir Santana apresentou o projeto após percorrer os bairros da Capital e observar áreas vagas onde eram descartados lixos (Foto: Arquivo)

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande aprovaram, na Sessão Ordinária desta quinta-feira (15), em única discussão, o Projeto de Lei 9.864/2020, de autoria do Executivo, que institui o Plano Municipal de Agricultura Urbana de Campo Grande.

Conforme mensagem do Executivo, o Plano visa promover práticas agroecológicas que envolvam a produção, o agroextrativismo sustentável, a coleta, a transformação e a prestação de serviços, de forma segura, para gerar produtos voltados ao consumo próprio, trocas, doações ou comercialização, aproveitando e reaproveitando, de forma eficiente e sustentável, os recursos e insumos locais.

Uma emenda apresentada pela Câmara visa estimular no município de Campo Grande a zona livre de agrotóxicos nas produções primárias e extrativistas.

No projeto consta que o Plano será formado por dois programas. O Hortas Urbanas busca a produção de hortaliças e de ervas medicinais em espaços urbanos, públicos ou privados; escolas municipais; unidades de saúde; unidades de assistência social; áreas de instituições ou comunidades, associações de moradores e centros comunitários, especialmente as carentes em risco de segurança alimentar; bem como agricultores familiares.

Já o Programa Agricultura Agroecológica tem como foco unidades de produção agroecológicas, denominadas Núcleos Agroecológicos, implantadas em áreas públicas ou privadas, destinadas para cultivo específico, visando à geração de emprego e renda.

Projeto

O projeto que institui o Plano Municipal de Agricultura Urbana de Campo Grande é de autoria do vereador Ademir Santana (PSDB) e o mesmo foi iniciado nos anos de 2017, durante as visitas do referido Vereador pelos bairros da Capital do Estado, ocasião em que ele notou a grande quantidade de terrenos baldios que poderiam ser aproveitados gerando renda, além de livrar os moradores do risco de contaminação de doenças causadas ou transmitidas pelos insetos e animais peçonhentos, encontrados nesses locais, que servem como pontos de descartes para lixo.

Com a ideia fixa de transformar essas áreas em uma fonte de renda ou de alimentos, o vereador Ademir Santana (PSDB) propôs uma audiência pública despertando o interesse, principalmente das pessoas residentes em torno da cidade, mais precisamente na área rural, na zona do cinturão verde e outras que também estavam envolvidas, principalmente as que residiam próximos a esses lotes abandonados, pela brilhante ideia e com isso centenas de pessoas foram à Câmara Municipal ouvir o ousado projeto.

Votação

Por conta da pandemia causada pelo coronavírus, a Sessão na Câmara Municipal de Campo Grande ainda continua sendo remota e através das live, o vereador Ademir Santana, lembrou ao Presidente da Casa, ao lados dos vereadores Eduardo Romero e Dr. Lívio assinou o referido projeto.

“Na ocasião, nos despachamos esse projeto e construímos juntos no plano diretor e agora, o mesmo está se tornando uma realidade que atenderá as comunidades nas áreas urbanas do município, áreas essas que estão abandonadas e tomadas pelos lixos e que a partir de agora, poderão ser transformadas em Hortas Comunitárias, em Hortas Urbanas, gerando renda e garantindo também alimentação a centenas de pessoas”, disse o vereador, durante o seu pronunciamento.

Demonstrando alegria pela aprovação do projeto que a partir da sua execução, mudará a vida de centenas de pessoas e entre elas, pais de famílias, Ademir Santana lembrou que na época, nos idos de 2017, o Prefeito disse que, a partir da aprovação do mesmo, “vamos construir juntos com os demais Vereadores, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Sedesc), a Semadur, a Agraer, através dos seus Secretários e demais funcionários, esse plano para a Agricultura Urbana em Campo Grande e hoje o mesmo é uma realidade e é motivo de muita satisfação da minha parte, porque foi uma ideia, mas que teve a participação de todos os pares dessa Casa e que hoje recebemos com alegria a realidade do projeto, para a implantação da tão sonhada Agricultura Urbana, o Cinturão Verde e de forma geral, todas as áreas urbanas, inclusive as (áreas) particulares”, afirmou através da live, o vereador Ademir Santana (PSDB).

Famílias

De acordo com o projeto, serão implantadas 200 Hortas Urbanas. com a ocupação de 200 áreas, que hoje servem para descartes de lixos e com isso,  oportunizando geração de renda e também de alimentos a 200 famílias, num total de aproximadamente 1.200 pessoas beneficiadas diretamente, nessas Hortas Comunitárias e também nas Hortas Urbanas, de onde poderão tirar os seus sustentos diários.

Renda

O vereador Ademir Santana (PSDB) acredita que a partir do momento que o projeto for efetivado, o mesmo resultará na geração de renda para centenas de famílias e ele explica.

“Nas Hortas Urbanas ou Comunitárias, as famílias poderão fazer o plantio de Hortifruti, verduras de forma em geral e entregar aos mercados espalhados pelos bairros da cidade. Além de abastecer os mercados da Capital, os responsáveis poderão  ainda, trabalhar nas feiras, instalando a sua banca de verduras. Com isso, cada responsável terá a sua renda e também o seu sustento e à medida que o negócio for crescendo, o responsável poderá contratar mão de obra, oportunizando assim, novas frentes de serviços”, disse.

Parcerias

Além de destacar o apoio por parte do Prefeito, o vereador Ademir Santana (PSDB), demonstrou muita humildade ao fazer questão de destacar a parceria dos demais Vereadores da Casa e bem como, os Secretários e funcionários da Semadur, Sedesc e da Agraer, afirmando que todos eles tão logo tiveram conhecimento do ousado e ambicioso projeto, além de terem se colocados à disposição, deram todo o apoio para que o mesmo fosse aprovado, como de fato aconteceu nesta quinta-feira (15).

“Na verdade é um projeto ousado e para colocá-lo em prática, assim como já precisamos, vamos de novo precisar desses parceiros, pois através dos técnicos dessas Secretarias, as famílias poderão desenvolver as hortas obtendo alimentação, renda e gerando novas frentes de serviços. Por isso, faço questão de agradecer a todos que nos apoiaram nessa investida”, afirmou Santana, lembrando que o projeto é para a criação de 200 hortas e para tanto, ele conta com o apoio de todos os órgãos citados.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





Exibir botões
Esconder botões