redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, segunda-feira, 24 de maio de 2021.

3ª Copa Liga Terrão

Após idas e vindas e sempre buscando alternativas para a prática da modalidade, Júlio do Campo Nobre, comemora a volta dos jogos da UEFA-MS a partir deste sábado

Por Gilson Giordano em 21/05/2021 às 10:38

Para movimentar a modalidade, Júlio do Campo Nobre (d) ao lado dos diretores da entidade, tiveram aulas sobre o “New-Fut” (Foto: Arquivo)

Após um ano enfrentando as mais diversas dificuldades impostas pela pandemia causada pelo coronavírus Covid 18, finalmente o Campeonato de Futebol Amador, promovido e organizado pela União Esportiva de Futebol Amador (UEFA-MS) poderá finalmente, voltar à sua prática e mesmo diante dos problemas recorrentes, os times estão prontos para a rodada de “reabertura” programada para este fim de semana com a realização de 15 jogos, que serão disputados em quatro campos localizados em bairros da região norte (saída para Cuiabá), da Capital de MS.

Os jogos serão disputados nos campos do Buracanã, Lagoa Dourada, São Caetano e Talismã, com a realização de 15 jogos e a “reabertura” será neste sábado (21).

Nesse retorno após um ano de paralisação das competições promovidas e organizadas pela entidade que na verdade usando a tecnologia, encontrou outras soluções para manter sempre viva a disputa e a rivalidade entre os times nela inscritos.

Claro que os jogadores que atuarão neste fim de semana, mesmo sendo da categoria amador, alguns poderão sentir a falta de ritmo e isso, poderá prejudicar o time ao logo do jogo.

3ª Liga Terrão

A principio, a 3ª Copa da Liga Terrão, que teve a largada no dia 6 de março passado, mas teve que ser de novo paralisada, teria a participação de 112 times, sendo 64 representantes da Capital e 48 do interior, movimentando mais de quatro mil jogadores momento, teve devido à pandemia causada pelo coronavírus Covid 19, alterada e com isso, os times do interior não disputarão a competição que na temporada passada teve o representante de Guia Lopes da Laguna, como vice campeão.

Com isso ficaram  apenas os 64 times da capital de MS que foram, conforme sorteio,  divididos em duas chaves: norte e sul, sendo que em cada uma delas, ficaram 32 times e neste fim de semana, os times sorteados para os grupos da região norte, darão o ponta-pé inicial.

Paralisação

Durante esse período de paralisação imposta pela pandemia do coronavírus Covid 19, mais de um ano e diante das medidas tomadas conforme os Decretos Municipais, de forma incansável a diretoria buscou alternativas para movimentar a modalidade, pois aquela altura, vários times já haviam acertados com patrocinadores e estes mandaram fazer os novos uniformes, já estampado o nome da sua empresa, aumentando em muito os pedidos solicitados à Versátil Camiseteria que intensificou o ritmo de trabalho para anteder a todos.

Reuniões

Sempre tendo à frente o dinâmico e incansável diretor Júlio César Souza da Silva – Júlio do Campo Nobre – a diretoria por ele representada, participou de várias reuniões ao lado dos empresários ligados ao segmento, através de aluguéis de campo para a prática da modalidade.

Fut-News

 Até mesmo da demonstração feita pelos praticantes do Fut-News, nas dependências do Rádio Clube de Campo, modalidade essa que chegou a ser especulada pela diretoria da Funesp, para a sua implantação na Capital de MS, Júlio do Campo Nobre participou, ao lado de outros diretores e entre eles, até mesmo o vereador Ademir Santana, um dos grande incentivadores da modalidade na Capital de MS.

Alternativas

No entanto, como um toque de mágica, a diretoria encontrou como alternativa paliativa, a realização do 1º Campeonato de Emulação de Pênaltis que se constituiu em grande sucesso, merecendo até mesmo ser incluído no calendário da entidade a partir da próxima temporada.

Para não para a modalidade foi disputado o Campeonato de Emulação de Pênalti, competição essa que pode fazer parte no calendário da entidade (Foto: Arquivo)

Vale ressaltar que ao longo da realização do evento que reuniu mais de mil pessoas, já na época foram tomadas e exigidas todas as medidas quanto à questão das normas da biossegurança entre os jogadores bem como dos torcedores.

Tecnologia

 Enquanto isso, todas as atividades esportivas coletivas ou individuais continuavam suspensas na Capital de MS devido ao avanço do coronavírus Covid 19.

Assim, novas alternativas foram criadas e como sempre, todas elas com o mais absoluto sucesso e assim vieram os campeonatos virtuais para a as escolhas do Escudo Mais Bonito e também o campeonato par a escolha do Uniforme Mais Bonito, ambos tiveram a participação de mais de Um Milhão de participantes, com votos vindos dos mais diversos e longínquos países de todo o mundo.

Representantes dos times vencedores nos campeonatos do Escudo Mais Bonito e também do Uniforme Mais Bonito, para o recebimento da premiação (Foto: Arquivo)

Hoje, graças ao crescimento, o futebol amador tem o reconhecimento quanto à sua importância perante a sociedade como instrumento de lazer, de integração e cultural e com isso, tem cada vez mais, atraídos “pool” de patrocinadores que investem nos times, na certeza de retorno a pequeno e médio prazo.

A importância do futebol amador é tamanha que a simples volta da prática da modalidade com jogos válidos pela 3ª Copa da Liga Terrão evidencia a sua popularidade e nesse momento, esta no cotidiano das conversas e discussões pelos bairros que sediarão o evento que é considerado como um dos maiores da região Centro-Oeste.

UEFA-MS

Para o diretor Júlio do Campo Nobre, o retorno dos jogos válidos pela 3ª Copa da Liga Terrão, a partir deste sábado (22), isso representa um novo marco, após vários adiamentos, desde o ano passado, sempre renovando as expectativas para a realização do evento.

Uma vez mais, Júlio César Souza da Silva, lamentou o fato de ter que “extirpar” quase que à base do “fórceps”, os times do interior, fato esse que foi contra a vontade da diretoria da UEFA-MS, devido às diferenças dos Decretos Municipais e graças ao consenso entre organizadores e participantes, tudo foi solucionado a contento, mesmo porque, como a modalidade vinha sendo praticada na Capital de MS, não dava mais para a entidade “segurar” o reinício da 3ª Copa da Liga Terrão, devido à indefinição das cidades sub-sedes.

“Não foi fácil tomar a decisão, pois os times inscritos nas sub-sedes do interior e em todas as cidades a empolgação era bem grande, mas para não conflitar os decretos, tivemos que tomar essa decisão”, lamentou Júlio.

Setembro

Sem pêra de tempo e como sempre agindo rápido, Júlio do Campo Nobre buscou e encontrou a solução junto à Fundesporte que junto com a entidade, trabalharão visando à realização de um super campeonato a partir de setembro.

“Tivemos que recuar nesse momento e esse recuo foi a não participação dos times do interior, mas já estamos agilizando para setembro dar um passo bem largo para a realização de um super-campeonato”, afirmou Júlio.

Jogos

A respeito da 3ª Copa da Liga Terrão, promovida e organizada pela União Esportiva de Futebol Amador –MS, que foi iniciada no dia 6 de março, com a vitória do time do Vó Maria por 4 x 1 Conveniência Balejo, Júlio acredita que pelo fato de todos estarem na expectativa será uma grande competição.

“Tem tudo para ser de novo um grande evento e esperamos que a pandemia tenha conscientizado a todos os atletas, quanto às atitudes dentro de campo, e que agora tudo seja diferente e que todos vão a campo para jogar futebol e nada de confusão, de briga ou tentativa de agressão aos árbitros, pois técnica, todos eles têm, resta agora, cada um mostrar a sua habilidade”, finalizou Júlio do Campo Nobre.

Economia

Quanto à economia que a volta “triunfal” da competição representa aos bairros onde estão localizados os campos Júlio do Campo Nobre também reconhece que a modalidade proporciona uma renda extra aos moradores da localidade bem como aos outros que podem se dirigir ao local das partidas para vender os seus produtos.

Mesmo porque, nos fins das tardes de sábados ou nas ensolaradas manhãs de domingo, que não gosta do famoso e conhecido “espetinho de gato”, que passado na farinha de mandioca, colocada em uma assadeira sobre a mesa, sacia a fome de todos, com a vantagem de ser preço ‘módico”.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





Exibir botões
Esconder botões