redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, quinta-feira, 30 de junho de 2022.

1ª copa campo grande futebol society

W.O causados por outros times, geram “efeito dominó” e eliminam equipe do Agrolaço Pet Shop da competição Municipal

Por Gilson Giordano em 24/05/2022 às 15:42

 

Muito bem cuidado pela equipe de funcionário. o campo da Praça Esportiva Belmar Fidalgo está um tapete, pena que não teve jogos fim de semana passado (Foto: Arquivo)

O Sábado (21) tinha tudo para ser um dia, futebolisticamente falando, feliz para elenco, comissão técnica e diretoria do Agrolaço Pet Shop, no entanto, não foi e no fim do dia, o que se viu foi um misto de frustração e decepção no semblante de todos que integram a referida equipe que continua invicta no futebol amador da Capital.

Sabedor que o time teria dois compromissos naquele dia, diretoria e comissão técnica trataram de dividir o elenco que agora, com a chegada de novos cinco jogadores, totaliza 27 atletas, pois o time do Agrolaço Pet Shop, no sábado à tarde, tinha a tão aguardada estreia no Campeonato Arena Campo Nobre de Futebol Amador  e paralelamente ao jogo, a mesma tinha também, a sua estreia na 2ª fase da Copa Campo Grande de Futebol Society que é promovido pela Prefeitura Municipal, através da Funesp, em parceria com a UEFA-MS.

Diante disso, os dirigentes separaram o elenco, sendo que uma parte dos jogadores ficou na Arena Campo Nobre, para onde seguiram todos e de lá, o grupo se dividira e a outra parte seguiria para o Belmar Fidalgo, localizado na área central da cidade, na distância aproximadamente de 20 km, para o cumprir o compromisso válido pela competição municipal.

O jogo a ser disputado na Arena Campo Nobre, seria iniciado às 14h, tal como aconteceu e o jogo a ser disputado na Praça Esportiva Belmar Fidalgo, seria iniciado às 15h, por tanto com tempo de “sobra” para a chegada do outro grupo de jogadores chegasse ao local   onde o time enfrentaria o NEC/Brito Futsal.

Efeito dominó

A tabela dos jogos válidos pela 2ª fase, para alguns times, pois a mesma já havia sido iniciada uma semana atrás, contava três jogos, sendo o primeiro entre as equipes do Los Cornetas x MFC, está programada para às 14h; o segundo jogo, no mesmo local entre os times do Olímpica x 9 de Maio, para às 14h30 e às 15h, o jogo entre as equipes do Agrolaço Pet Shop x NEC/Brito Futsal.

No entanto, o W.O que no inglês significa Walkover e que traduzido para o português é “Vitória fácil”, causado por um dos times participantes do primeiro jogo, acabou prejudicando as outras equipes nas partidas seguintes e sob o “efeito dominó”, ou o tradicional “strike”, no jogo de boliche, quando todos os pintos são derrubados, ocasionou também o W.O e por isso foram eliminadas da competição.

O primeiro grupo composto por quatro jogadores do Agrolaço Pet Shop chegou por volta das 14h15 ao Belmar Fidalgo, onde foram informados que não teria mais o jogo e que o time, havia sido derrotado por W.O, pelo fato de não estar no local para o início da partida. Com isso, de imediato, os jogadores que estavam no local, informaram aos outros que já estavam chegando e depois todos juntos, voltaram para a Arena Campo Nobre, onde foram disputados os jogos da competição local.

Frustração e decepção

Mais tarde, ao informar à imprensa os resultados conquistados pelo time, após os jogos, ao contrário das vezes anteriores quando anuncia com muita vibração, desta vez o CEO do time do Agrolaço Pet Shop, o empresário Márcio Barriviera demonstrou claramente o misto da sua frustração e decepção pelo acontecido.

“Boa tarde! Na Arena Campo Nobre Ganhamos e no Belmar (Fidalgo) perdemos por WO”, limitou-se a dizer, mas evidenciando a tristeza por tal acontecimento.

A frustração demonstrada através da voz do mecenas do time, foi pelo fato de o time querer jogar e ter sido impedido e com isso, não concluiu em campo, a sua participação na referida competição, uma das programadas para a atual temporada, sendo  eliminado injustamente.

A decepção foi pelo fato de ter sido eliminado da mesma, com a alegação de ter causado WO, quando a situação, pelo retrospecto apresentado até o momento pela equipe, mostrava que com a bola rolando, o resultado seria outro bem diferente do qual foi anunciado pelos organizadores e com as boas apresentações sendo que esta também poderia terminar com outra vitória e com ela, a equipe poderia sonhar com a 3ª fase do campeonato.

Com essa decisão talvez precipitada, que perdeu foi o futebol e principalmente os torcedores residentes naquela região, que tinham como atração e por sinal muito convidativa, os jogos com times de qualidades se apresentando no campo da Praça Esportiva Belmar Fidalgo.

Ético, Márcio Barriviera não quis polemizar o fato da eliminação do time da competição que ele, com a comissão técnica, haviam programado na temporada 2.022 como uma das prioridades quanto à conquista do título.

Copa de futebol amador

Em 2.019, a Prefeitura Municipal de Campo Grande, através da Fundação Municipal de Esportes (Funesp) realizou a 1ª Copa de Futebol Amador, ofertando o prêmio de R$ 10 mil ao time campeão; R$ 5 mil ao vice e R$ 2 mil ao 3º colocado, teve a participação de 112 times, com os jogos sendo espalhados praticamente em todos os bairros da Capital.

Do total de 112 times inscritos, muitos deles tiveram o mesmo problema vivido neste sábado (21), pelo time do Agrolaço Pet Shop e igualmente foram eliminados em função do W.O causado por outros times.

Um dos prejudicados foi o time do Lava Jato FC que disputaria o jogo, em um dos campos localizados localizado no Parque Ayrton Senna onde o time já se encontrava, trocado, mas pelo simples fato de não estar em campo, acabou sendo eliminado da competição.

Essa decisão “arbitraria” do árbitro, revoltou os dirigentes do time que anunciou que não participaria das próximas competições promovidas pela Prefeitura Municipal e com ele, outros diretores fizeram o ‘coro”, tanto que apenas 72 times iniciaram suas participações na atual competição.

Solução

É inegável que a competição é importante para o desenvolvimento e o crescimento da modalidade na Capital de MS, no entanto, é preciso encontrar uma solução capaz de evitar esse problema do W.O que geralmente é causado por times que na verdade não tem compromisso com a modalidade.

Uma das saídas poderia ser a cobrança da inscrição dos times, claro que, sendo um valor capaz de ser aceito e com o total arrecadado, a Funesp compraria as cestas básicas e repassaria para a Fundação de Apoio à Comunidade (FAC), para fazer a distribuição às famílias carentes.

Dentro do atual sistema, onde os times participantes doam um quilo de alimento não perecível por cada jogador inscrito, fica bem barato, pois um time inscreve 20 atletas, consequentemente deverá doar 20 quilos de alimento, basta comprar quatro pacotes de arroz, de cinco quilos, que totalizam R$ 60,00, que dividido por 20 atletas, daria para cada um a importância de R$ 3,00, quantia essa que não pesa nenhum pouco no orçamento.  Caso seja cobrado um valor real, no ato da inscrição, todos os times, antes de causar o WO, contarão até dez.

Homologação

A Funesp, organizadora oficial do campeonato, até à tarde desta terça-feira (24), ainda não havia oficializado os resultados registrados no fim de semana, através dos registros feitos nos boletins oficial da fundação. No entanto, dificilmente essa decisão já tomada será revista.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Exibir botões
Esconder botões