redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, sábado, 13 de agosto de 2022.

campo nobre

O que já era bom ficará melhor ainda, pois a Prefeitura “oficializou” escolinha de futebol do Projeto Social

Por Gilson Giordano em 25/08/2021 às 09:28

Devidamente uniformizados, graças aos patrocinadores, integrantes da escolinha de futebol participaram da “inauguração” nesta terça-feira (foto Divuilgação)

O que já era bom tem tudo para ficar melhor ainda! Esse é o resumo que se pode fazer da inauguração “oficial” por parte da Prefeitura Municipal de Campo Grande que nesta terça-feira (24), à tarde, oficializou a escola de futebol localizada no Jardim Campo Nobre, na região do Anhanduizinho, como uma das integrantes do projeto Escola Pública de Futebol.

O projeto há tempos vem sendo desenvolvido pelo presidente da Associação de Moradores do bairro, Júlio César Souza da Silva que, graças a um “pool” de patrocinadores conseguiu manter a escolinha de futebol em constante atividade, oportunizando chances às crianças residentes na localidade, que são orientadas por quatro professores, todos devidamente qualificados na área esportiva.

Como se sabe, as aulas são ministradas no campo localizado ao lado do Centro Comunitário do Jardim Campo Nobre que, igualmente foi construído graças às inúmeras ações realizadas pelo presidente da entidade, Júlio César Souza da Silva, ainda com a ajuda da comunidade e da credibilidade que goza diante dos empresários instalados no referido bairro.

Com a “oficiliazação” por parte da Prefeitura, através da Funesp, a tendência é que o projeto que há anos já vinha sido desenvolvido, tenha a partir de agora, mais suporte e com isso, a manutenção dos ensinamentos do trato com a bola, para o grupo formado por aproximadamente 110 meninos e meninas que na verdade, enfrentam a “rígida” disciplina que é orientada por quatro profissionais da área esportiva: Marcos, Sandro, Luiz Antônio e Jéssika e que há tempos estão à frente do projeto idealizado por Júlio César Souza da Silva que não esperou “cair do céu” e correu atrás dos empresários para colocar em prática o audacioso projeto.

Projeto

A então chamada “escolinha de futebol”, que a partir de agora passa a se chamar Escola Pública de Futebol, nasceu dentro do Projeto Social, em 2.016  e foi elaborado pelo presidente da Associação de Moradores do bairro, Júlio César Souza da Silva, conhecido por todos como Júlio do Campo Nobre que durante o evento, fez questão de recordar a iniciativa por ele tomada.

De acordo com Júlio do Campo Nobre, a ideia nasceu após o mesmo ter visto e acompanhado inúmeras crianças que no contra-turno das aulas escolares ficavam pelas ruas do bairro sem nenhuma atividade e a mercê de um possível mal caminho.

“Vendo aquilo eu pensei, vou montar uma escolinha de futebol pra tirar  essas crianças das ruas e dar às mesmas uma atividade esportiva ao menos para  preencher o tempo ocioso. Tão logo eu fiz o anuncio desse minha ideia, de imediato, apareceram mais de 50 meninos e meninas, o que dava uma ideia exata  da ociosidade de todos e que eles também queriam uma atividade”, recordou Júlio do Campo Nobre, como sempre mostrando uma ponta de orgulho pelo fato de ter alcançado  sucesso com mais aquela iniciativa.

No entanto, com tantas crianças é claro e inegável que a responsabilidade da entidade, no caso a Associação de Moradores, aumentava e muito, pois com isso, os pais foram ao local para saber a respeito do assunto e do que se tratava e calmamente Júlio  convocou uma reunião para expor a sua ideia e nela, a mesma foi amplamente aprovada.

Mas, para colocar a ousada ideia em prática  não bastava apenas a iniciativa e a boa vontade, pois faltava o necessário e o básico: bolas, coletes, cones, meiões e em alguns casos, até mesmo os tênis.

Com o projeto debaixo do braço e com a ideia fixa de tornar realidade mais um sonho e dar oportunidade e a perspectiva de uma vida melhor ás crianças que até então não tinham nada, Júlio do Campo Nobre começou a sua peregrinação em busca de recursos para tornar viável o projeto.

Jamilson 

Após algumas exaustivas caminhadas e apenas recebendo os “parabéns” pela ousadia do sucesso, Júlio do Campo Nobre se dirigiu ao então empresário e hoje deputado estadual Jamilson que também além de parabenizar pela iniciativa, prontamente abraçou a causa e bancou os “investimentos” iniciais do ousado projeto, na compara de bolas, coletes, uniformes, meiões e alguns pares de tênis para os menores menos favorecidos.

Pronto, estava finalmente sendo concretizado o primeiro passo do projeto ousado e audacioso que ganhou credibilidade junto à classe empresarial que formou um “pool”  de empresas que banca os custos com os salários dos profissionais que ministram os seus conhecimentos, com aulas no período da tarde.

Mas as aulas não ficam restritas apenas no campo de futebol e segundo Júlio do Campo Nobre, ali estão sendo preparados e formados os novos valores para a sociedade de forma geral, pois além das técnicas e táticas, as crianças acima de tudo, aprendem o civismo, a boa prática da convivência social e que tem se tornando orgulho para os pais, que veem nos filhos, verdadeiros espelhos, na forma comportamental.

“Isso é gratificante, pois estamos fazendo apenas uma parte daquilo que nos é possível e todas essas conquistas vividas hoje, eu agradeço ao deputado Jamilson que, ainda em 2.016 acreditou no projeto e proporcionou condições para eu colocá-lo em prática e depois disso, vieram outros empresários que também tem tido uma grande parcela de contribuição nesse sucesso que estamos ainda alcançando”, disse Júlio do Campo Nobre.

Inauguração

Na ocasião da “inauguração” do projeto Escola de Futebol Pública, o prefeito Marquinhos Trad acompanhou a solenidade que contou com as presenças da maioria dos integrantes da mesma, da diretoria da Associação de Moradores e é claro, vários moradores da localidade, oportunidade em que o prefeito ressaltou a importância do acompanhamento esportivo na nova geração. “Vemos aqui crianças novas que poderão nos dar muito orgulho e quem sabe um dia ser atleta famoso. É bonito ver nossas crianças e jovens seguindo bons caminhos”.

Na ocasião, um dos professores que já integrava o quadro de técnicos do projeto de futebol no Campo Nobre, Luiz Antônio da Silva, falou sobre a importância do serviço prestado à comunidade, além de explicar que o esporte pode auxiliar no resgate social de crianças que vivem em vulnerabilidade social.

Ao falar de certa forma até mesmo emocionado, Luiz Antônio da Silva, indiretamente apontou a “rigidez” usada pelos professores aos alunos participantes e entre elas, ele citou a chamada diária e em caso da falta de um ou outro aluno, de imediato os responsáveis  tentam saber o motivo da ausência, além disso,  da cobrança quanto ao ótimo aproveitamento escolar.

“Muitas crianças, que se, porventura, não tivessem o espaço, estariam nas ruas ou correndo risco de caminhos errados. Sempre fazemos chamada, quando um falta, procuramos saber o motivo. Também existe a preocupação com os estudos: sempre é cobrado que em primeiro lugar estejam estudando e para continuar treinando com boas notas. Tem muitos que em casa, acredito que pelo fato dos pais terem que trabalhar, são ociosos e procuro sempre identificar e dar uma atenção especial para aqueles que possuem dificuldade em se enturmar com os colegas”, explicou.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Exibir botões
Esconder botões