redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, sábado, 25 de maio de 2019.

Região do Anhanduizinho

Moradores do Loteamento Municipal D. Antônio Barbosa recebem ação conjunta no combate a dengue

Por Gilson Giordano em 09/05/2019 às 16:40

Em ação conjunta equipes da Cruz Vermelha Corpo de Bombeiros, Sesau e Rede Solidária, orientam moradores no combate ao mosquito da dengue (Foto: Divulgação)

Mesmo com o declínio dos registros dos casos atribuídos ao mosquito Aedes aegypty, diversas entidades decidiram também entrar nessa “guerra” contra a dengue e com isso aumentou o incentivo contra a proliferação do inseto causador da doença, que causou varias mortes no Estado de MS e em particular na Capital

Diante dos números apresentados anteriormente o Loteamento Municipal Dom Antônio Barbosa, localizado no bairro Lageado, na região do Anhanduizinho, foi um dos alvos dessa ação conjunta, realizada entre a Cruz Vermelha, Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau), Corpo de Bombeiros e do programa Rede Solidária do Governo, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast).

O local também esquecido pelo Poder Público e apontado como de vulnerabilidade social, foi um, cuja população sofreu com a doença, apresentou um elevado o índice de infestação na Capital.

Diante dos dados através dos boletins, a ação desenvolvida pelos órgãos acima citados levou, através das crianças e jovens, informação e conscientização principalmente para os jovens que serão formadores de opinião e já terão em sua rotina o hábito de manter seus ambientes livres de focos de criadouros.

A afirmação foi feita por Geremias Ferreira, representante da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais da Sesau, que palestrou aos participantes sobre os danos que as doenças transmitidas pelo mosquito podem causar à pessoa infectada, bem como boas práticas de combate e prevenção.

A ação contou com a participação de crianças e adolescentes atendidos no projeto, bem como as famílias e foi aberta a todos os moradores da localidade.

 “O bairro Dom Antônio está entre as regiões mais atingidas pela infestação do mosquito que transmite à dengue, chikungunya e zika, por isso é tão importante levar informação e conscientização principalmente para os jovens que serão formadores de opinião e já terão em sua rotina o hábito de manter seus ambientes livres de focos de criadouros”, disse Geremias Ferreira.

A Cruz Vermelha levou aos participantes informações sobre o uso de inseticidas, repelentes e como deve ser feito o uso. “Esse é um projeto que levamos para várias regiões da cidade, ensinando a população como deve ser ministrado o uso de inseticidas, bem como o uso correto do repelente. Hoje também vamos ensinar como fazer em casa uma armadilha para ajudar na diminuição da proliferação do mosquito”, destaca o Presidente da Cruz Vermelha de Mato Grosso do Sul, Tácito Nogueira.

Os participantes receberam da Cruz Vermelha, kits de repelentes, inseticidas e também produziram uma armadilha para o mosquito. “Uma vez feita a armadilha, a pessoa deve eliminar qualquer tipo de local que possa servir de criadouro, sendo assim o mosquito vai procurar a armadilha para botar os ovos e uma vez que os ovos caem e se desenvolvem na água no fundo do pote eles ficam presos no recipiente”, ensina Tácito. Responsável pelo Projeto Bombeiros do Amanhã na Unidade I do Rede Solidária.

O soldado BM, Stênio Felix, destaca a importância de abordar o tema com as crianças e adolescentes. “Nosso trabalho é de incentivo a disciplina e respeito, através de atividades lúdicas com as crianças e jovens, sendo o combate à dengue uma questão de educação e conscientização, nada melhor que trazer para o projeto essa ação para multiplicar as práticas de prevenção e combate”, afirma.

Dessa primeira ação conjunta será deliberado um dia de combate externo, em que as crianças e adolescentes do Rede Solidária em conjunto com as entidades, visitarão as casas do bairro para incentivar as práticas aprendidas dentro do projeto.

“Será um momento importante, principalmente para os nossos jovens e crianças, onde eles vão ter a responsabilidade de levar a população uma informação, de ser eles os protagonistas da ação, fortalecendo os vínculos com a família, com os amigos e com a comunidade de um modo geral, que é o que tanto buscamos no programa. Preparar essas crianças e adolescentes para a vida em sociedade e que eles se sintam parte importante dela”, diz Cristina Meza, Diretora do Rede Solidária Unidade I.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





Exibir botões
Esconder botões