redacao@gritoregional.com.br     (67) 9 8175-8904

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Tudo sobre a região do Anhanduizinho

Campo Grande, sexta-feira, 24 de maio de 2019.

Escola Profª. Flavina Maria da Silva

Aluno do Jardim Botafogo supera deficiência e faz Biomedicina

Por Gilson Giordano em 13/05/2019 às 10:11

Ao lado das professoras, Douglas venceu barreiras, superou deficiência e hoje é acadêmico de Biomedicina (Foto: Divulgação)

Localizada no Jardim Botafogo no bairro Pioneiros, na região do Anhanduizinho, a Escola da Rede Pública Estadual Profª. Flavina Maria da Silva, que tem na direção o professor Everaldo Monteiro da Silva, uma vez mais abriu às portas para outro estudante que ano passado concluiu com sucesso o 2º grau e conquistou uma das vagas para o curso de Biomedicina.

Desta feita a conquista foi do aluno Douglas Vieira Zerial, de 17 anos, que teve de superar limitações até a conclusão dos estudos, devido à deficiência auditiva, precisando fazer implante coclear.

O implante coclear trata-se de um dispositivo médico eletrônico para pessoas com perda auditiva de grau severo a profundo. Ele funciona transformando sons em estímulos elétricos que são enviados diretamente ao nervo auditivo. Isso significa que ele substitui parcialmente as células danificadas da cóclea.

Escola

Localizada, o Jardim Botafogo, na Rua Centro Oeste, 40, no bairro Pioneiros, na região do Anhanduizinho, a escola Profª. Flavina Maria da Silva tem como diretor, o professor Everaldo Monteiro da Silva e nela, estão matriculados no ano letivo aproximadamente 640 alunos nos três períodos, divididos nos 1º, 2º e 3º ano do 2º grau.

Aluno

Apesar da deficiência Douglas nunca desistiu dos seus sonhos e a sua determinação, aliada ao apoio dos familiares e o engajamento dos profissionais envolvidos nesse processo foram os fatores determinantes para o sucesso do adolescente que obteve boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), o que lhe garantiu o ingresso no curso de Biomedicina em uma instituição de ensino superior da Capital.

Para atingir essa importante marca, Douglas contou com a ajuda do Centro Estadual de Atendimento ao Deficiente da Audiocomunicação (Ceada), vinculado à Coordenadoria de Políticas para Educação Especial (Copesp), responsável pelo atendimento Educacional Especializado (AEE) em Língua Portuguesa, para estudantes deficientes auditivos da Rede Estadual de Ensino (REE).

Para a gerente pedagógica do Ceada, Rosângela da Costa Pereira Mariano, o resultado é uma amostra do sucesso no trabalho realizado durante o período que o estudante foi atendido pelo Centro. “A equipe do Ceada comemorou, e muito, o resultado do Douglas. Durante pouco mais de um ano, ele freqüentou o Atendimento Educacional Especializado, no período de agosto de 2017 até dezembro de 2018, e o testemunho dele é uma prova de que esse atendimento foi primordial para o bom desempenho”, disse.

Com o curso já em andamento desde início de 2019, o estudante voltou agradecer pelo atendimento recebido no Centro. “Muito obrigado a todos que acreditaram que eu iria realizar o meu sonho de cursar a faculdade. A ajuda foi de grande valia para minha formação e só tenho gratidão pelas professoras, equipe em geral e todos que fazem parte do Ceada”, concluiu Douglas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





Exibir botões
Esconder botões